Resenha O diário de uma escrava de Rô Mierling

wp-1502811145498.

No mês de março eu ganhei um kit belíssimo de livros pela parceria da Editora Iluminare, foram três livros e entre eles veio” O diário de uma escrava“, o livro do ano que saiu em capa dura com o design da borboleta e páginas em rosa e azul, pela Editora Darkside. Eu estava esperando ansiosamente, e bem no dia das mães ele veio. Demorei um pouquinho pra ler, mas tirei algumas impressões da obra.

É uma terrivel e brutal história de suspense e terror, que normalmente acontece com o sexo feminino em todos os lugares.

O diário de uma escrava da autora Rô Mierling, foi lançado no ano passado (2016), pela editora Dakside. Antes dele ser publicado pela darkside, ele foi lançado pela editora Iluminare, onde fiz parceria. A obra já está em todo o Brasil e surpreende a quem lê.  Narrado em primeira pessoa, ele fala propriamente sobre até que ponto uma pessoa pode chegar em busca da sua própria liberdade e o que um ser humano faz para estar no aconchego de sua família, se submetendo à alta perversidade. Sobrevivência e loucura, caminham lado a lado na trama, e não tem como defenir até que ponto chega, também, a maldade humana diante de outras pessoas. Quase um “jogos mortais” é assim que a história se conta de O diário de uma escrava, que narra a história de Laura, uma menina no auge dos seus 14 anos, que é estuprada, violentada e presa a um buraco, pelo seu raptor, “O ogro”, a quem ela chama. No vai e vem divididos por capítulos, a narrativa vai se passando dividido entre histórias do passado de cada personagem, que tenta entender um pouco cada perfil, e o tempo presente, onde ocorre as cenas de estupro e violência, um pouco da história de cada vítima, e do assassino de mulheres. A menina, a personagem principal a quem passa a maioria do tempo trancafiada e presa em um buraco pelo ogro, fica recorrendo as suas memórias do passado, junto da sua família e do ex-namorado. Ela relembra o que foi algum dia, enquanto vivia sua liberdade. Além de que, “O ogro” faz o trabalho de sequestrar outras meninas da mesma idade pela cidade, enquanto mantém Laura refém e cria meios de escapar dos policias. Numa parte da história, creio eu que, por uma tentativa de fuga, após de matar agressivamente e a sangue frio mais uma adolescente o monstro (tido por mim, rsrsrsr), sai pela cidade com Laura, quase um cadáver, para se fixar em um outro lugar e recomeçar a sua saga de sequestro.

wp-1502903651925.

 

A obra de tema adulto, proposto pela autora do livro, relata de maneira triste uma história que normalmente ocorre com mulheres e meninas do mundo inteiro. É uma obra que fala da pior maneira sobre o estupro, a violência, tortura e invasão humana, mas que não deixam de existir no mundo real. Fora da ficção ocorre da mesma forma. Diante da minha experiência, com obras da mesma linha de terror/ficção e suspense, uma outra obra que também se trata desse assunto, é identidade roubada de Chevy Stevens, ele fala sobre uma mulher sucedida com uma vida estável e com namorado que tinha tudo para dar certo, só que é surpreendida ao ser sequestrada, e passam seus piores momentos, vividos em uma memória que é narrada no início da história a uma terapeuta. Mulheres e meninas são brutalmente sequestradas e violentadas todos os dias e foi exatamente essa realidade assustadoramente real que a autora quis retratar na sua obra diário de uma escrava.

Minha opinião

A obra na minha opinião não deixou de maneira alguma a desejar, o único ponto em que me deu um aperto no peito (tive a todo momento com a atriz principal) e me deixou com um x de interrogação, foi o final. Irritantemente irritante, mas bastante distante, triste e perverso, a obra que não me decepcionou terminou de um jeito que eu não imaginaria que pudesse ocorrer a um ser humano. Não que tenha sido de todo mal, claro, mas fiquei esperando um outro fim para a trama. Com certeza o desfecho de Laura, é algo que surpreende os leitores, já que não sai exatamente como todo mundo espera, e isso que traz o Q ao livro. Digamos que seja bastante macabro e horripilante, mas diferencia um bocado do que a gente sempre espera que as histórias de terror possam acabar. Posso dizer, que foi perfeito e brilhante ao mesmo tempo que é bastante triste, ele traz emoção e suspense ao leitor. Outra lacuna que eu encontrei  na obra, é que a autora não explica o que acontece com a esposa do Ogro após todos os sequestros e quando ele sai com Laura da cidade, sim, o Ogro tem uma esposa. Enquanto ele mora na casa com a sua esposa, ele começa a sua mania de raptar crianças para torturá-las no frio de um buraco nos fundos de sua casa, e com isso, após matá-las, recomeça a saga com uma outra pessoa até chegar a sua morte, sem escapatória.

A escrita da autora é bastante rápida e perspicaz, o livro foi bem escrito (Palmas!), e diversas vezes me deu aquele frio na espinha nas partes mais chocantes do livro, uma mistura de horror, de raiva e de tensão e uma sensação de nada poder fazer.

O final é bastante inesperado. Causa indignação e arrepio, um terror psicológico que testará o seu nível de sanidade.

Um thriller.psicológico bem produzido, na minha opinião!

Resultado de imagem para diário de uma escrava folhas

FOTO DIVULGAÇÂO.

 

Acesse: http://www.darksidebooks.com.br/diario-de-uma-escrava/

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s